Publicado em 19 Oct 2021

As cercas elétricas devem cumprir a norma técnica para não oferecer riscos

Redação

O funcionamento de uma cerca elétrica acontece da seguinte forma: a central eletrônica do aparelho envia pulsos de alta tensão, que podem chegar a 8.000 V, porém, com uma tensão quase irrisória, o que impede de o invasor ficar preso à corrente elétrica, sendo jogado para longe do objeto. Quando ocorre um contato com a cerca ou algum fio é cortado, o alarme de segurança é ativado, pois ocorre a fuga de energia. Quer dizer, um choque da cerca elétrica não pode matar um ser humano, pois a tensão é baixíssima, embora a corrente seja de até 8.000 V. A tensão na corrente é pulsativa, ou seja, não há a possibilidade de a pessoa ficar grudada recebendo choques continuamente na cerca. Dessa forma, impossibilita matar até mesmo um animal de pequeno porte, como um gato ou cachorro. Se acontecer alguma morte, o proprietário não está cumprindo os procedimentos normativos na instalação. Infelizmente, algumas pessoas fazem uso incorreto do item de segurança e instalam a cerca elétrica ligada diretamente a rede elétrica do imóvel. Com isso, ela deixa de ter uma central de choque e passa a terá tensão ou corrente de carga. Esse tipo de comportamento é ilegal e pode-se responder por tentativa de homicídio doloso. Uma cerca elétrica consome por volta de 3,6 kW ao mês. É como deixar a TV em stand by — desligada no controle, mas ligada na tomada. Se acabar a energia do imóvel, o local não fica desprotegido. Isso porque, todo o sistema de cerca elétrica legalizada deve possuir uma bateria que funciona sem pausas, para manter a proteção ativa. A bateria tem carga para manter o sistema funcionando por até 12 horas. Deve-se compreender a segurança de eletrificadores de cerca, cuja tensão nominal não seja superior a 250 V e por meio dos quais os fios em cercas de propriedades agrícolas, cercas de controle de animais selvagens e domésticos, e cercas de segurança, possam ser eletrificados ou monitorados.

Da Redação – 

A cerca elétrica é constituída de fios de aços, isoladores e hastes que interligam esses fios e recebem a tensão por meio de uma central de eletrificação. Para uma segurança ainda maior, além de aumentar a tensão da cerca dentro dos padrões legais, quanto mais fios em diferentes locais e alturas forem instalados, mais seguro estará o imóvel.

Também existem as cercas com monitoramento e as sem monitoramento. As monitoradas são interligadas a uma central de alarme e quando violadas disparam uma sirene de alarme e acionam uma empresa de segurança ou disca para o número de seu telefone. As não monitoradas não são interligadas a uma central de alarme e quando violadas disparam sirene de alarme. Ou seja, tem um nível de proteção a menos.

O projeto das cercas elétricas começa com visita ao local onde será feita a instalação para a análise de risco. Nessa vistoria, os profissionais verificam quais os pontos mais vulneráveis do perímetro, as características arquitetônicas dos muros que receberão o sistema, existência ou não de desníveis, presença de grades ou portões que interferem na linearidade, entre outras...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica