Publicado em 29 Dec 2020

A segurança das motosserras para a poda de árvores

Redação

A arborização urbana contribui notavelmente para a qualidade de vida e o bem-estar da população, pois, há melhoria do microclima, um abrandamento da poluição sonora, redução do impacto das chuvas e purificação do ar pela fixação de poeiras. Para o serviço de poda são utilizados diversos tipos de ferramentais auxiliadores ao ser humano na execução do trabalho, como, por exemplo, as motosserras. A atividade de poda exige muita atenção para que se possam evitar os acidentes, pois necessita, às vezes, de que o operador trabalhe sobre caminhões e cestas, escadas ou mesmo sobre as próprias árvores, manuseando as máquinas e equipamentos. Diversos fatores podem agravar os riscos de acidentes nestes casos, como ambiente de trabalho inadequado, elevada exigência de esforço físico, longas jornadas de trabalho, ineficiência no projeto de concepção das máquinas, operador não esteja utilizando os equipamentos de proteção individual (EPIs) apropriados, falta de sinalização do local de trabalho. A avaliação dos riscos de acidentes é de suma importância para as atividades de poda, pois seus resultados poderão ser empregados na prática com o intuito de melhorar e garantir a segurança e o bem-estar do trabalhador, aumentando assim, a eficiência do trabalho. Dentre os riscos avaliados estão os riscos físicos, ergonômicos, químicos e de acidentes inclusive relacionados a trabalho em altura e choques elétricos. Neste contexto, torna-se imprescindível que a sinalização do local também esteja adequada as normas de segurança do trabalho exigidas para a realização dessa atividade. Deve-se compreender os parâmetros de segurança para a sua verificação quanto ao projeto e construção de motosserras manuais portáteis, movidas com motor a combustão possuindo uma massa máxima de 4,3 kg - sem sabre ou corrente e com os tanques vazios - destinadas a serem utilizadas com a mão direita na empunhadura traseira e a mão esquerda na empunhadura dianteira, por um operador treinado para poda e derrubada de copas de árvores em pé.

Da Redação – 

A poda consiste na eliminação seletiva de ramos ou outras partes de uma planta, com o objetivo de proporcionar uma estrutura adequada à planta e ao ambiente, equilibrando sua frutificação e seu crescimento vegetativo. A poda é recomendada para reduzir os conflitos da árvore com a rede elétrica ou provedores de internet e diminuir a brotação e consequentemente a intensidade de podas posteriores, além de reduzir riscos de queda, oferecer desobstrução, quando necessário, manter a saúde da planta, influenciar a produção de flores e frutos e melhorar a estética. Existem variados tipos de poda, porém em qualquer tipo de poda não poderão ser removidos mais que 30% do volume total da copa, sendo o descumprimento considerado infração em alguns municípios.

Em muitas cidades existem diversos tipos de poda possíveis e a escolha mais adequada será aquela que permita o desenvolvimento saudável da planta considerando entre outros, o seu estágio de amadurecimento, capacidade de recuperação, estádio fenológico e equilíbrio estrutural. A eliminação de ramos deverá seguir uma técnica de corte que considere o tamanho do galho ...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica