Publicado em 30 Mar 2021

As ferramentas e os métodos de parceria para a inovação

Redação

A palavra inovação deriva do verbo latino inovare, que significa renovar. Em essência, a palavra manteve seu significado até hoje. Inovação significa melhorar ou substituir algo, por exemplo, um processo, um produto ou um serviço. No contexto das empresas, entretanto, o termo precisa de uma definição, ou seja, é um processo pelo qual um domínio, produto ou serviço é renovado e atualizado pela aplicação de novos processos, introdução de novas técnicas ou estabelecimento de ideias de sucesso para criar novo valor. A criação de valor é uma característica definidora da inovação. Em suma, as organizações têm várias opções para aumentar sua competitividade: elas podem se empenhar pela liderança em preços ou desenvolver uma estratégia de diferenciação. Em ambos os casos, a inovação é essencial. As empresas que optam pela liderança em preços devem garantir sua competitividade a longo prazo, desenvolvendo processos inovadores e altamente eficientes. A otimização de processos e a melhoria contínua em termos de custos são importantes para eles. As empresas que buscam uma estratégia de diferenciação precisam de inovação para desenvolver características únicas e diferenciadoras para seus concorrentes. Embora a inovação sempre tenha sido uma das forças motrizes na competição e sempre uma dimensão competitiva primária, os numerosos estudos e publicações dos últimos anos mostram que a velocidade da mudança está aumentando. Isso torna a inovação um dos motores mais importantes para o sucesso de longo prazo das empresas. Assim, os métodos de colaboração, parcerias e trabalho em equipe estão cada vez mais sendo usados em inúmeras empresas, por exemplo, para promover inovações digitais e superar os desafios da mudança digital. Dessa forma, é importante entender as parcerias de inovação que são desenvolvidas para criar valor para cada parceiro trabalhando em conjunto. Os benefícios de uma parceria de inovação incluem o acesso a conhecimentos, competências, tecnologia e outros ativos intelectuais que não estejam disponíveis na organização e o acesso a recursos de infraestrutura, como laboratórios experimentais e equipamentos, para desenvolver produtos e serviços novos ou melhorados.

Hayrton Rodrigues do Prado Filho -

No caso de as empresas decidirem por um processo de parceria para inovação, para evitar mal-entendidos e possíveis conflitos, os parceiros não apenas devem concordar com o conteúdo da parceria de inovação, mas também sobre a forma como interagem. Qualquer forma de colaboração exige um acordo claro sobre a sua governança, como os papéis (quem faz o quê); e as responsabilidades (sobre o que cada parte será responsável por prestar contas); passivos/obrigações; os direitos das partes (o que cada parte tem direito a receber da colaboração); a gestão de ativos intelectuais; os processos e órgãos decisórios (conselhos, comitês, fóruns, mandatos, etc.); e a implementação de um programa de compliance.

As questões a serem abordadas podem incluir: o processo decisório: encaixe estratégico, consideração de consenso ou regra majoritária; quem lidera a parceria de inovação e qual poder decisório cada líder tem; o que acontece se um parceiro não entregar o que deveria entregar no devido tempo; o que acontece se um parceiro não alocar os recursos que deveria; como evitar a agenda...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica