Publicado em 13 Apr 2021

A conformidade dos testes laboratoriais remotos

Redação

Estes testes são passíveis de realização em sistemas analíticos, especificamente desenvolvidos de forma a permitir sua execução em locais que podem não atender à área física licenciada pela Vigilância Sanitária para um laboratório clínico. Os equipamentos e insumos são em geral de pequeno porte, localizam-se perto dos pacientes ou em áreas adjacentes, são portáteis, de fácil utilização, rápidos e podem ser operados por equipe multidisciplinar treinada e capacitada. Como vantagem aos testes convencionais, destacam-se o menor tempo no processamento da amostra, o pequeno volume a ser coletado e o uso de sangue total como amostra biológica, não sendo necessária etapa de centrifugação e, com isto, gerando maior rapidez na liberação do exame, o que permite decisão médica de forma mais precoce. A execução desses testes não requer pessoal de laboratório fixo no local de realização, podendo ser realizada por qualquer profissional da área de saúde, devidamente treinado para integrar esse grupo operacional. Alguns testes que podem ser executado, como o de glicemia, o mais conhecido e familiar aos profissionais de saúde, em geral operado pelas equipes de enfermagem no monitoramento regular de glicemia dos pacientes diabéticos, em jejum ou em drogas de abuso, usado para diagnóstico rápido de uso de drogas ilícitas como cocaína, e de alcoolemia, especialmente em unidades de emergência e em atendimentos de campo, a exemplo das operações de combate à condução de veículos motorizados sob efeito de álcool. O de coagulação é aplicável aos cenários de necessidade de diagnóstico rápido dos níveis de international normalized ratio (INR) em pacientes sob risco de trombose e sangramento, especialmente durante grandes cirurgias, como cirurgia cardíaca, vascular e neurocirurgia, bem como para protocolos de uso de trombolíticos no acidente vascular encefálico isquêmico. Assim como a glicemia, a dosagem de INR tem ganhado espaço no automonitoramento domiciliar para apoio no manejo da anticoagulação terapêutica. Deve-se entender os requisitos específicos aplicáveis ao teste laboratorial remoto e se destina a ser usado em conjunto com a NBR ISO 15189. Os requisitos normativos se aplicam quando o point of care testing (POCT) é realizado em um hospital, clínica e por uma organização de serviços de saúde que preste atendimento ambulatorial.

Da Redação – 

Para atender satisfatoriamente a necessidade do fornecimento rápido e confiável de resultados de exames laboratoriais, foram desenvolvidos aparelhos compactos, em grande parte portáteis, precisos, de operação simples e intuitiva, para serem utilizados fora do ambiente do laboratório clínico central. Os testes laboratoriais remotos são os descentralizados e possuem grande aplicabilidade clínica, usados para triagem, diagnóstico, tratamento e monitorização terapêutica de doenças.

Podem ser encontrados em diversos setores de um hospital (unidades de terapia intensiva, emergência, centros cirúrgicos), bem como consultórios médicos, farmácias e, até mesmo, na casa de pacientes, como no caso dos monitores de glicemia. Uma ampla variedade de testes laboratoriais remotos está disponível comercialmente, incluindo testes para determinação do hematócrito, hemoglobina, HbA1c, glicose, CK-MB, troponina, beta-HCG, gases sanguíneos, eletrólitos, perfil lipídico, hepatograma, ureia, creatinina, drogas de abuso, coagulograma, doenças infecciosas, etc.

Assim, são definidos como testes realizados por intermédio de um eq...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica