Publicado em 10 Aug 2021

A conformidade das peças fabricadas pelo processo de microfusão

Redação

A microfusão é um processo de fundição que utiliza modelos de cera e moldes cerâmicos, permitindo fabricar peças com formas complexas, tolerâncias dimensionais estreitas e ótimo acabamento superficial. Consiste na fabricação de modelos em cera ou plástico, o qual é revestido em material refratário apropriado. Posteriormente, com a remoção dos modelos de cera, por aquecimento do conjunto, procede-se o vazamento com o metal desejado. As peças obtidas, por este processo, caracterizam-se pelos seus muitos detalhes, precisão dimensional e fino acabamento, o que permite, em alguns casos, a eliminação quase completa de subsequentes operações de usinagem. Há registros de que esse processo teve sua origem nos primórdios do desenvolvimento da arte de fundição, surgindo como resposta a problemas de produção de peças de formato complexo, associado à necessidade de precisão dimensional e de um bom acabamento superficial em materiais de baixa usinabilidade. A partir daí o processo passou a ter aplicações crescentes em inúmeros setores, abrangendo desde um simples trabalho artístico a importantes aplicações industriais. Desenvolveram-se as técnicas de molde sólido e casca cerâmica, intensificou-se o uso do vácuo e observou com o passar do tempo um aumento do tamanho máximo das peças que podem ser produzidas. A microfusão caracteriza-se pela produção de modelos em cera ou plástico, obtidos por injeção em matrizes, para produção de peças, de pequeno peso, de 2 g a 400 g, podendo atingir até 50 kg. As principais fases do processo incluem a preparação dos modelos, o revestimento, a deceragem e a calcinação, a fusão e o vazamento, a remoção do molde e o acabamento e a preparação dos modelos. Nesse processo, o rechupe visual é a porosidade de contração na forma de defeitos negativos observados na superfície da peça, originados por insuficiência de alimentação líquida durante a solidificação do metal em pontos quentes. Os defeitos positivos são em alto relevo e os negativos ficam em baixo relevo, como poros, vazios, bolhas de gás, etc. Deve-se conhecer as características das peças fabricadas pelo processo de microfusão, de tal modo que elas possam atender a todos os requisitos de qualidade e funcionalidade exigidos pelo cliente, ao mínimo custo.

Da Redação – 

No processo de microfusão, na fase inicial, são produzidas as matrizes metálicas a partir do projeto das peças que serão fundidas. No desenho da matriz são introduzidas correções dimensionais que visam compensar as contrações e expansões da cera, do molde cerâmico e do próprio metal. A matriz é fixada em uma máquina, onde cera em estado pastoso é injetada, dando origem ao modelo em cera, da peça que se quer produzir. Os modelos injetados são montados em tornos de uma haste de cera (colocados por fusão de cera com auxílio de uma espátula aquecida), obtendo-se o que se denomina árvore de modelos (ou cachos). A relação do número de peças por cacho é função do tamanho das peças, tamanho da caixa, capacidade do forno, peso do conjunto, etc.

Para elaboração da cera utilizam-se vários materiais, como a cera de carnaúba, parafina, breu e resinas plásticas. As propriedades desejadas da cera são: mínimo de contração, boa plasticidade, resistência e dureza para possibilitar o manuseio dos modelos.

As peças obtidas pelo processo de fundição de precisão não devem conter juntas frias, emendas e trincas visuais. Mes...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica