Publicado em 07 Dec 2021

As boas práticas para implementar um sistema de gestão da energia

Redação

Um sistema de gestão de energia (SGE) é o meio de controlar e reduzir o consumo de energia de uma empresa, o que permite reduzir custos já que a energia representa em média 25% de todos os custos operacionais em uma organização; reduzir as emissões de carbono para atender às metas internas de sustentabilidade e aos requisitos regulatórios; e reduzir os riscos, pois quanto mais energia se consome, maior o risco de que o preço da energia aumente ou a escassez de fornecimento possa afetar seriamente a lucratividade. Com as melhores práticas em gestão de energia, pode-se reduzir os riscos diminuindo a demanda e controlando-a de forma a torná-la mais previsível. A gestão energética deve englobar três aspectos principais. Em primeiro lugar, é necessário ter o conhecimento sobre os fluxos de energia, suas características, contratos e como esses fluxos são influenciados por ações dentro da instalação. Feito isso, é crucial que se acompanhe, através de indicadores, os consumos de energia (absoluto e específico), os custos específicos, os preços médios, os valores contratados e os fatores de utilização dos equipamentos e/ou instalações. E por último, deve-se atuar visando a redução dos gastos energéticos nas instalações, sejam eles pela redução de consumos específicos, através de campanhas de conscientização, capacitação de funcionários e até mesmo troca de equipamentos. O indicador de desempenho energético (IDE) é o valor ou medida quantitativa de desempenho energético conforme definido pela organização. Ainda segundo a NBR ISO 50001 de 08/2018 - Sistemas de gestão da energia - Requisitos com orientações para uso, os IDE podem ser expressos de diferentes maneiras, sejam elas uma razão simples entre consumo e produção ou até mesmo modelos mais complexos. A utilização de indicadores facilita a visualização do consumo específico em determinado processo. Esses indicadores devem ser factíveis com a operação na qual ele é instaurado, uma vez que um indicador mal implementado pode fazer com que medidas errôneas sejam tomadas. Deve-se planejar todo o SGE, estabelecendo os IDE, os objetivos, as metas e os planos de ação necessários para que as etapas pré-determinadas sejam alcançadas. Feito isso, a próxima etapa é implementar o plano de ação definido anteriormente. Depois de implementadas as ações, deve-se monitorar e medir processos e as principais características que sirvam como uma base para determinar se o desempenho energético foi ou não satisfatório. Ainda nessa etapa deve-se divulgar os resultados obtidos para toda a organização. E por fim, a última etapa trata de propor ações de correção para os resultados que não atingiram os objetivos e ações de melhoria para os resultados que foram satisfatórios. Por isso, os gestores devem entender as boas práticas e os exemplos para estabelecer, implementar, manter e melhorar um sistema de gestão da energia (SGE) de acordo com a abordagem sistemática da NBR ISO 50001.

Da Redação – 

A gestão de energia tem de estar claramente comprometida com a implementação e melhoria do SGE, e isso deve ser executado por meio de uma definição de uma política energética para a organização. A gestão deve criar uma equipe de gestão de energia, sendo ela responsável pela gestão, definição e melhoria dos elementos fundamentais do SGE, como sejam os limites do sistema, a política energética, os objetivos, os indicadores, entre outros. É ainda da sua responsabilidade a comunicação da importância do SGE a todos os funcionários da organização. A gestão deve ainda incluir o desempenho energético no planejamento a longo prazo e rever regularmente todo o sistema.

O planejamento deve assegurar a consideração adequada dos riscos e as oportunidades organizacionais, e uma conexão com as prioridades de negócios. O objetivo é assegurar a melhoria do desempenho energético; a eficácia do SGE em alcançar os resultados pretendidos; e determinar as oportunidades que podem alcançar os objetivos da organização.

A maioria das organizações está sujeita a vários riscos e oportunidades, que podem ser priorizados com base e...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica