Publicado em 07 Apr 2020

Um calçado de couro resistente à passagem de corrente elétrica

Redação

O objetivo deste trabalho foi realizar estudos em amostras de calçados fabricados em couro, no intuito de obter resultados comparativos quando realizados sob condições diferentes de condicionamento, possibilitando identificar possíveis causas que impactam de forma significante nos resultados dos ensaios de resistência e isolamento elétrico.

Felipe Cintra Clementino, Pedro Yuri Kovatch, Nicole Aparecida Amorim de Oliveira, David Henrique Zago, Hérico Tavares da Silva, Jorge Luis Dias dos Santos, Sandro Gonçalves de Andrade e Alexandre Henrique Meneghetti - 

No ano de 2009 foi publicado pelo Ministério do Trabalho e Emprego, através da Portaria 121 de 29 de setembro do mesmo ano as novas normas a serem adotadas no Brasil para obtenção e renovação do Certificado de Aprovação (CA) de calçados utilizados com equipamento de proteção Individual (EPI). Nessa portaria, para calçados de segurança, proteção e ocupacional, foram adotadas as normas ISO recém transformadas em normas brasileiras e publicadas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Porém, as normas adotadas não previam ensaios e nem requisitos de especificação para calçados resistentes a eletricidade da Classe I (couro e materiais têxteis), apenas para calçados da Classe II (inteiro polimérico/inteiro elastomérico) definida pela norma EN 50321. Visando a continuação da certificação de calçados resistentes a eletricidade da Classe I, a mesma portaria manteve as normas NBR 12756:1992 e NBR 12561:1992 para execução do ensaio e especificação, respectivamente, de requisitos elétricos, com a condição que fosse estudado pelos técnicos competentes no assunto uma metodologia atualizada e mais coerente para ensaiar calçados para esta finalidade.

Uma comissão foi formada com integrantes do CB 32 para iniciar os e...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica