Publicado em 08 Sep 2020

O monitoramento da medição dos conversores de volume de gás

Redação

A regulamentação e a comercialização do gás natural são efetuadas em unidades de volume referidas à condição-base de pressão, temperatura e compressibilidade e também a uma condição de referência do poder calorífico, estabelecendo desta forma uma referência de valor energético para o metro cúbico do gás na condição-base. O medidor de gás natural típico, no entanto, totaliza somente o volume deste energético nas condições de operação no local da medição. Sendo o gás natural um fluido compressível, torna-se necessária a adoção de métodos aceitos para realizar a conversão do volume na condição de operação no local no volume na condição de base. Assim, um medidor de gás é utilizado para medir o volume de gases combustíveis, tais como gás natural e GLP. Os medidores de gás são utilizados em diversos segmentos tais como a indústria, comércio, residências que consomem gás combustível fornecido por um gasoduto ou através de cilindros. Os fluidos na forma gasosa são mais difíceis de medir do que os líquidos, pois seu comportamento cinético sofre mais alterações em função da temperatura e pressão. Os medidores de gás medem um volume específico, de acordo com seu projeto e necessidade. Existem dois meios básicos de se medir vazão de gás : os medidores por diferença de pressão e os medidores lineares ou que medem pequenas quantidades de volume. Em medidores com saída de pulsos a integração é mais fácil, pois basta contar o número de pulsos e multiplicar pelo fator do medidor. Em medidores mecânicos a saída de pulsos usualmente está ligada ao primeiro rolete, com baixa frequência (um ou dois pulsos por m³, por exemplo. Conheça os requisitos mínimos para a instalação, comissionamento, validação e monitoramento da medição dos conversores de volume de gás.

Da Redação – 

A conversão do volume de gás para as condições de referência se faz tipicamente pulso a pulso: o conversor de volume faz os cálculos de conversão para cada pulso recebido e o totaliza em separado. Sendo assim um medidor tipo turbina pode ser dotado de dois totalizadores um de volume corrigido e outro de volume não corrigido. Se esses totalizadores forem remotos, o conversor de pressão apresenta e mantém esses totalizadores registrados e é chamado de conversor de volume. Antes, os conversores de volume eram erroneamente chamados de corretores de volume. Esse termo está em desuso e não é recomendado.

Os conversores de volume não fazem cálculos constantemente, somente calculam quando tem um pulso de entrada. Os conversores mantêm os registros horários e diários, iguais às totalizações no momento do fechamento da hora ou dia. Os registros de pressão e temperatura são os usados no momento da totalização. O intervalo entre os registros pode ser longo, dependendo das frequências do evento (pulso). Como não fazem cálculos constantemente, podem trabalhar com baterias internas por longos períodos, desde que não utilizem saídas de comunicação ou outras fontes de consumo.

A concepção do conversor de volume visa fornecer dados de volumes totalizados e a vazão média em períodos longos não é um elemento para indicação de vazão instantânea. Não deve ser usado como recurso para loop de controle, pois a vazão informada é a média do pe...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica