Publicado em 07 Sep 2021

O potencial do biogás no setor agropecuário brasileiro

Redação

O biogás é um tipo de biocombustível produzido naturalmente a partir da decomposição de resíduos orgânicos. Quando a matéria orgânica, como restos de comida e dejetos animais, se decompõe em um ambiente anaeróbico (um ambiente sem oxigênio), eles liberam uma mistura de gases, principalmente metano e dióxido de carbono. Como essa decomposição ocorre em um ambiente anaeróbio, o processo de produção do biogás também é conhecido como digestão anaeróbia. A digestão anaeróbia é uma forma natural de transformação de energia que usa o processo de fermentação para decompor a matéria orgânica. O estrume animal, os restos de comida, a água residual e o esgoto são exemplos de matéria orgânica que pode produzir biogás por digestão anaeróbica. Devido ao alto teor de metano no biogás (normalmente de 50 a 75%), o biogás é inflamável e, portanto, produz uma chama azul profunda e pode ser usado como fonte de energia. O biogás é conhecido como uma fonte de energia amiga do ambiente porque alivia dois problemas ambientais principais simultaneamente: a epidemia global de resíduos que libera níveis perigosos de gás metano todos os dias; e a dependência de energia de combustível fóssil para atender à demanda global de energia. Ao converter resíduos orgânicos em energia, o biogás está utilizando a tendência elegante da natureza de reciclar substâncias em recursos produtivos. A geração de biogás recupera materiais residuais que, de outra forma, poluiriam os aterros, evita o uso de produtos químicos tóxicos em estações de tratamento de esgoto e economiza dinheiro, energia e material com o tratamento de resíduos. Além disso, o uso do biogás não requer extração de combustível fóssil para produzir energia. Em vez disso, o biogás pega um gás problemático e o converte em uma forma muito mais segura. Mais especificamente, o teor de metano presente nos resíduos em decomposição é convertido em dióxido de carbono. O gás metano tem aproximadamente de 20 a 30 vezes a capacidade de retenção de calor do dióxido de carbono. Isso significa que quando um pão podre se converte em biogás, o impacto ambiental do pão será cerca de dez vezes menos potente do que se fosse deixado para apodrecer em um aterro sanitário. Segundo o Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), o setor agropecuário deverá aumentar, e muito, o seu uso.

Da Redação – 

Ao contrário de permitir que o gás metano seja liberado para a atmosfera, os digestores de biogás são os sistemas que processam os resíduos em biogás e, em seguida, canalizam esse biogás para que a energia possa ser usada de forma produtiva. Existem vários tipos de sistemas e usinas de biogás que foram projetados para fazer um uso eficiente do biogás. Embora cada modelo difira dependendo da entrada, saída, tamanho e tipo, o processo biológico que converte resíduos orgânicos em biogás é uniforme.

Os digestores de biogás recebem matéria orgânica, que se decompõe em uma câmara de digestão. A câmara de digestão é totalmente submersa em água, tornando-a um ambiente anaeróbico (sem oxigênio). O ambiente anaeróbio permite que os micro-organismos quebrem o material orgânico e o convertam em biogás.

Conforme destaca a Associação Brasileira do Biogás (Abiogás), os resíduos provenientes das usinas de açúcar e etanol (vinhaça, palha da cana e torta de filtro) são considerados os mais promissores para a geração de biogás e biometano no Brasil. De acordo com a gerente executiva da Abiogás, Tamar Roitman, embora atu...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica