Publicado em 27 Aug 2019

Os recipientes para o gás liquefeito do petróleo (GLP)

Redação

Fabricados com chapas de aço e capazes de suportar altas pressões, os recipientes são totalmente seguros. Além disso, são seguidas as normas técnicas. Entretanto, eles precisam ser manuseados corretamente para que a válvula e os mecanismos de segurança não se danifiquem. O gás dentro do recipiente encontra-se nos estados líquido e gasoso. Do volume total do recipiente, 85% são de gás em estado líquido e 15% em estado gasoso. Isso constitui um espaço de segurança que evita uma pressão elevada dentro do recipiente.

glp2Da Redação –

Segundo a Petrobras, define-se o GLP como a mistura formada, em sua quase totalidade, por moléculas de carbono e hidrogênio (hidrocarbonetos) de três a quatro átomos de carbono que, embora gasosos nas condições normais de temperatura e pressão, podem ser liquefeitos por resfriamento e/ou compressão. O GLP é incolor e, desde que tenha baixo teor de enxofre, é inodoro. Neste caso, uma pequena quantidade de um composto à base de enxofre lhe é adicionado a fim de lhe conferir odor facilmente identificável, para o caso de uma eventual situação de vazamento.



Os constituintes mais importantes do GLP são: propano (C3 H8 ); propeno (C3 H6 ); isobutano (C4 H10); n-butano (C4 H10); e buteno (C4 H8 ). O poder calorífico do propano é de 49.952 kJ/kg (11.934 kcal/kg) enquanto o do butano é de 49.255 kJ/kg (11.767 kcal/kg) e o da gasolina é de 40.660 kJ/kg (9.714 kcal/kg). Os componentes do GLP podem ser comercializados separadamente como propano e pro...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica