Publicado em 26 mai 2020

O controle da direção do absorvedor de energia em veículos

Redação

O processo de direção do carro é feito por diversos componentes que, juntos do sistema de suspensão, garantem a condução segura e confortável. O volante é indispensável em qualquer carro, ele é o primeiro componente de direção. Controlado pelo motorista, o volante também é considerado por muitos um item decorativo – podendo ser trocado por diversos tipos, cores e produzidos com materiais diversos. Além disso, o volante ainda pode ser integrado com controle dos sistemas multimídia do carro. No entanto, mais que beleza é importante garantir a segurança e conforto na condução. A coluna de direção é a responsável por levar o movimento do motorista no volante até a caixa de direção. A coluna é bipartida e suas partes são separadas por cruzetas para permitir o movimento de rotação nos mais diferentes ângulos de deslocamento. Existem modelos de carros que possuem a opção de ajuste da altura da coluna para mais comodidade ao dirigir. A barra de direção, que sai da caixa no sentido das rodas, apresenta a forma articulável para acompanhar a suspensão. Também conhecida como cremalheira, ela possui dentes para o deslocamento de uma engrenagem (chamada de pinhão), que transforma o movimento retilíneo em circular. Esses componentes precisam ser lubrificados para evitar o desgaste. O terminal de direção está ligado à barra, funciona como pivô e movimenta toda a coluna de suspensão – interligando todo o mecanismo à roda. Há um ensaio para determinação das características estabelece o método para determinação das características do controle da direção do absorvedor de energia, sob condições simuladas de impacto sobre o condutor.

Da Redação – 

Apesar de todos os critérios de segurança, ergonomia e de absorção de energia que os volantes têm de obedecer, os projetistas das montadoras não deixariam a oportunidade de colocar em prática suas ideias nesse quesito importante do carro. Com isso, o desenho precisa estar harmonioso com a logomarca ao centro do volante. E até os raios no volante servem como diferenciais para situar o carro. Os raios seguem o projeto e o posicionamento do veículo.

Além disso, busca-se dar ao volante valores não só de tecnologia, com os comandos embutidos no volante, como também de requinte, através de padronagens diferentes. É onde entram os revestimentos em couro, com costuras aparentes, encontrados com mais facilidade nos segmentos de médios para cima. Ou apliques de madeira, alumínio ou aço escovado, só usados mesmo em modelos de luxo. O volante é o componente do carro mais à vista do motorista.

No fundo, o movimento do automóvel é contrariado pela resistência do ar e dos pneus. A resistência imposta pelo ar aumenta proporcionalmente com o quadrado da velocidade; por exemplo, se a velocidade duplicar, a resistência ao avanço quadruplica, e se a velocidade triplicar, a resistência passa a ser nove vezes maior.

O efeito da resistência do ar poderia ser reduzido caso a carroceria apresentasse a forma de uma gota de água quando cai, forma impraticável devido à limitação do espaço destinado aos ocupantes. Foi necessário encontrar ...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica