Publicado em 28 Dec 2021

A gestão do conceito de usabilidade de sistemas, produtos e serviços

Redação

A ergonomia é o processo de projetar ou organizar locais de trabalho, produtos e sistemas de forma que se adaptem às pessoas que os utilizam. A usabilidade é a medida na qual um produto pode ser usado por usuários específicos para alcançar os objetivos específicos com eficácia, eficiência e satisfação em um contexto de uso específico. O método de usabilidade é aquele que apoia o projeto centrado no ser humano, utilizado com o objetivo de aumentar a usabilidade de um produto ou sistema. Na verdade, a maioria das pessoas já ouviu falar de ergonomia e pensa que tem a ver com bancos ou com o design dos controles e instrumentos do carro, porém ela é muito mais que isso. A ergonomia se aplica ao projeto de qualquer coisa que envolva pessoas - locais de trabalho, esportes e lazer, saúde e segurança. É um ramo da ciência que visa aprender sobre as habilidades e limitações humanas e, em seguida, aplicar esse aprendizado para melhorar a interação das pessoas com produtos, sistemas e ambientes. A ergonomia visa melhorar os espaços de trabalho e ambientes para minimizar o risco de lesões ou danos. Assim como as tecnologias mudam, também muda a necessidade de garantir que as ferramentas que acessamos para trabalhar, descansar e se divertir sejam projetadas para as necessidades do corpo humano. No local de trabalho, o custo econômico total de lesões e doenças relacionadas ao trabalho é estimado no mundo todo em mais US$ 100 bilhões. A dor lombar é a deficiência relacionada ao trabalho mais comum no mundo - afetando funcionários de escritórios, canteiros de obras e na categoria de maior risco, a agricultura. A ergonomia visa criar espaços de trabalho seguros, confortáveis e produtivos, trazendo habilidades e limitações humanas para o design de um espaço de trabalho, incluindo o tamanho do corpo do indivíduo, força, habilidade, velocidade, habilidades sensoriais (visão, audição) e até mesmo atitudes. Para alcançar o design de melhores práticas, os ergonomistas usam os dados e técnicas de várias disciplinas, como a antropometria que inclui os tamanhos, as formas corporais das populações e suas variações; a biomecânica que inclui os músculos, as alavancas, as forças, etc.: a física ambiental, como o ruído, a luz, o calor, o frio, a radiação, os sistemas de vibração do corpo: audição, visão, sensações, etc.: e a psicologia, como a habilidade, a aprendizagem, os erros, as diferenças e os comportamentos. Por isso, deve-se entender métodos de usabilidade centrados no ser humano que podem ser utilizados para projeto e avaliação. Ele detalha as vantagens, desvantagens e outros fatores relevantes ao uso de cada método de usabilidade.

Da Redação – 

Os métodos de usabilidade são utilizados, em geral, tanto no projeto quanto na avaliação. A principal diferença entre o projeto e a avaliação em termos de uso dos métodos de usabilidade é uma diferença de foco. A diferença é descrita a seguir. O foco do projeto é determinar os conhecimentos, as capacidades e as limitações dos usuários em relação às tarefas para as quais o produto ou o sistema está sendo projetado.

De particular interesse são as maneiras pelas quais os designers de produtos e serviços podem compreender melhor as tarefas e o vocabulário da tarefa dos usuários, as suas capacidades físicas, etc. Essas informações são usadas para orientar o projeto do sistema ou produto para maximizar a sua usabilidade.

Muitas vezes, esse enfoque leva à descoberta de maneiras inesperadas pelas quais os usuários veem a operação ou o uso de um produto ou sistema. Esse enfoque pode incluir a comparação de projetos de concorrentes para determinar qual é o mais fácil de usar.

O foco da avaliação é avaliar um projeto em uma dimensão particular (por exemplo, recursos de interface, recomendações, normas, etc...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica