Publicado em 03 Mar 2020

A Qualidade na coleta de sangue humano

Redação

Embora a prevenção seja a melhor alternativa para diminuir a incidência das doenças sexualmente transmissíveis (DST) e acquired immunodeficiency syndrome (Aids), o diagnóstico e o tratamento precoces diminuem as complicações e os efeitos psicossociais dessas patologias. O correto diagnóstico laboratorial depende da coleta adequada das amostras de sangue para testes. A coleta de amostras de sangue para testes sorológicos deve ser realizada preferencialmente com o paciente em jejum. Nos testes sorológicos para diagnósticos dessas doenças, o fato de o paciente não estar em jejum não impede a coleta, a menos que ele tenha ingerido alimentos gordurosos, nas últimas três horas. Dessa forma, devem ser conhecidos os requisitos normativos e os métodos de ensaio para os recipientes de uso único para a coleta de amostras de sangue venoso com e sem vácuo.

coleta2Da Redação –

Segundo o Ministério da Saúde, existem condições ideais para a coleta de sangue, como uma sala bem iluminada e ventilada, pia, cadeira reta com braçadeira regulável ou maca garrote, algodão hidrófilo, álcool iodado a 1% ou álcool etílico a 70%, agulha descartável, seringa descartável, sistema a vácuo: suporte, tubo e agulha descartável, tubos de ensaio com tampa, pinça, pipetas Pasteur, etiquetas para identificação de amostras, caneta, recipiente de boca larga, com parede rígida e tampa, contendo hipoclorito de sódio a 2%, avental e máscara luvas descartáveis e estantes para tubos.



Antes de ser feito antes a coleta da amostra de sangue, deve-se identificar os tubos para colocação da amostra. Escreva na etiqueta os dados do paciente: nome, número do registro, data de nascimento, sexo, data da coleta, número ou código de registro da amostra e o nome da instituição solicitante. Em algumas unidades, utiliza-se apenas códigos ou abrevi...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica