Publicado em 09 Jun 2020

As especificações dos ventiladores pulmonares

Redação

A ventilação pulmonar espontânea é um processo mecânico, automático, rítmico e regulado pelo sistema nervoso central. Os pulmões possuem uma arquitetura que proporciona as distribuições adequadas do ar inspirado e do fluxo sanguíneo pulmonar, permitindo a troca de oxigênio e dióxido de carbono entre o sangue e o alvéolo. A ventilação visa ao deslocamento de volumes entre os pulmões e o ambiente, e envolve a movimentação de estruturas como vias aéreas, pulmão, parede torácica, cavidade abdominal, musculatura inspiratória e expiratória, entre outras. As pleuras visceral e parietal que recobrem o pulmão e parede torácica respectivamente estão interligadas por uma fina camada de líquido. Este líquido, além de fornecer o mecanismo de aderência entre as pleuras, funciona como um lubrificante e permite a adaptação entre o pulmão e parede torácica tornando seus movimentos simultâneos. Durante a ventilação espontânea no ciclo respiratório, o movimento da massa de gás que entra no pulmão é resultante do trabalho mecânico dos músculos respiratórios (pressão motriz), que sobrepuja principalmente: as forças elásticas das vias aéreas, do tecido pulmonar e da parede torácica; as forças resistivas geradas pelo deslocamento do gás através das vias aéreas e também devidas ao atrito presente nos tecidos. Já a ventilação mecânica pode ser realizada de maneira invasiva (tubo endotraqueal ou tubo de traqueostomia) ou não invasiva (sonda nasal, máscara laríngea ou máscara facial). A ventilação invasiva se subdivide ainda em: espontânea, assistida e controlada. Há requisitos de segurança básica e de desempenho essencial para os dispositivos de suporte de ventilação pulmonar.

Da Redação – 

Com a disseminação da gripe chinesa, vem se falando muito sobre o ventilador pulmonar que é um dos equipamentos essenciais para a manutenção da vida em momentos de crise como a deficiência em atividades cardiorrespiratórias. Ele pode manter a vida do paciente durante o tempo em que ele não consegue fazer o movimento respiratório sozinho. A circulação do oxigênio pelo corpo é fundamental para o funcionamento de diversos órgãos.

A atuação do ventilador pulmonar no corpo se processa durante o ciclo da respiração em que há a troca de gases por todo o corpo, atuando no tecido dos órgãos, em cada célula. O ventilador pulmonar age para substituir o movimento natural da respiração, logo um importantíssimo suporte de vida para o paciente. Este impedimento no ciclo respiratório não acontece somente por motivo de doença. Mas também por falhas congênitas no pulmão e coração. Quando em um momento de cirurgia em que o paciente está anestesiado e perde momentaneamente a independência desta função, o ventilador pulmonar também é usado.

A ventilação artificial pode acontecer por três modos: através das vias nasais, vias orais ou por traqueostomia. Quando o ventilador manda o ar oxigênio para os pulmões acontece a troca gasosa e com a retira da pressão acontece a expiração. Portanto, ele atua estritamente em substituição as funções do pulmão.

Estes aparelhos usam uma fonte de pressão positiva para fazer com que o ar chegue aos p...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica