Publicado em 18 Jan 2022

A Qualidade das mangueiras de incêndio

Redação

As mangueiras de incêndio, assim como as convencionais, têm a função de canalizar a água que sai de uma fonte e permitir que ela seja direcionada para um determinado ponto. A diferença entre ambas é que a de incêndio é feita de forma diferenciada, com materiais específicos, sendo mais resistente a abrasão e capaz de aguentar pressão bem maior, o que a torna ideal para o combate às chamas. A do tipo 1 é recomendada para edifícios residenciais, sendo excelente para apagar chamas em materiais sólidos, como madeira, papel e tecido, por exemplo. Trata-se do tipo mais comum de mangueira. A do tipo 2 devem ser usadas em edificações comerciais, industriais e pelo corpo de bombeiros, sendo mais resistente, pois possui um reforço têxtil em seu corpo. A do tipo 3, com dupla capa, é indicada para a área naval, sendo extremamente resistente à abrasão e capaz de operar com pressão maior, fazendo com que ela seja ideal para situações críticas. As do tipo 4 e 5 podem trabalhar com alta pressão e possuem nível altíssimo de resistência à abrasão. Por conta disso, elas são utilizadas apenas pelo corpo de bombeiros ou por indústrias pesadas. A grande maioria é fabricada com tubo interno de borracha sintética, possuindo como principais características um acabamento perfeito com a trama de náilon, um tubo liso e a uniformidade de sua espessura de tubo. O tecido externo - é fabricado a partir de fibras sintéticas que devem contar com boa resistência a agentes químicos, boa resistência à abrasão, enorme resistência à ruptura e não deve apresentar mofo quando guardada em ambiente úmido. O urdume ou os fios que correm ao longo do comprimento do tecido tem a função de proteção da pressão interna ao longo do seu comprimento ou na seção longitudinal). A trama ou o conjunto de fios que correm circunferencialmente em torno do tubo interno tem a função é proteger as mangueiras contra incêndio em relação à pressão circunferencial ou no plano perpendicular ao tubo interno). Todas devem ser vulcanizadas ou passarem pelo processo por meio do qual o tubo de borracha é inserido dentro da capa de náilon. Os extremos das mangueiras são unidos a uma tubulação onde é injetado vapor d'água fazendo a união entre o tubo interno e o tecido externo. A espessura do tubo de borracha muda de acordo com a pressão de trabalho com qual a mangueira será submetida. Por isso, deve-se entender os parâmetros normativos exigíveis quanto à inspeção, manutenção e cuidados necessários para manter a mangueira de incêndio aprovada para uso.

A mangueira de incêndio é um equipamento de combate a incêndio, constituído essencialmente por um duto flexível dotado de uniões. A mangueira tipo 1 é construída com um reforço têxtil para pressão de trabalho de 1,0 Mpa, sendo para a aplicação em edifícios de ocupação residencial, a do tipo 2 é construída com um reforço têxtil para pressão de trabalho de 1,4 Mpa, sendo aplicadas em edifícios comerciais, industriais ou corpo de bombeiros. A do tipo 3 é uma mangueira construída com dois reforços têxteis sobrepostos para pressão de trabalho de 1,5 Mpa, sendo para a aplicação em área naval, industrial ou corpo de bombeiros.

A do tipo 4 é construída com um reforço têxtil, acrescida de uma película externa de plástico para pressão de trabalho de 1,4 Mpa, para a aplicação em área industrial. A do Tipo 5 é uma mangueira construída com um reforço têxtil, acrescida de um revestimento externo de borracha para pressão de trabalho de 1,4 Mpa, sendo para a aplicação em área industrial. Todas devem ter um serviço de manutenção a ser efetuado na mangueira de incêndio por empresa capacitada, após a sua utilização ou quando requerido po...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica