Publicado em 31 Mar 2020

A proteção contra incêndio, por chuveiros automáticos, em armazéns logísticos

Redação

Os armazéns são usados para estocar matérias primas, produtos semiacabados, materiais inflamáveis e produtos auxiliares e acabados, etc., antes de serem transferidos para fabricantes, distribuidores e consumidores. As áreas de armazenamento podem ser vastas, cobrindo mais de 100.000 m² e alturas de mais de 60 m. Eles podem ser internos ou externos, com as próprias mercadorias determinando o tipo de armazenamento necessário (por exemplo, estantes com baia alta, armazenamento em bloco, armazenamento a granel, armazenamento de líquidos) ou quaisquer condições especialmente controladas, como refrigeração. As mercadorias podem ser armazenadas manualmente (por exemplo, usando empilhadeiras, correias transportadoras, etc.) ou por máquinas de armazenamento e recuperação automáticas, controladas por computador. Algumas instalações têm uma rotatividade muito baixa de ações ao longo de um ano, enquanto outras são mais rápidas. Além disso, as instalações de armazenamento nem sempre são de propriedade e gerenciadas pelos fabricantes/varejistas que atendem, mas administradas por terceiros que armazenam e gerenciam as mercadorias mediante taxas. Esses locais precisam ser bem planejados em suas estruturações, levando-se em consideração a instalação dos elementos de segurança, já que esse é um tema de extrema importância. Ainda que cada armazém logístico tenha características diferentes, é necessário ter em conta que as atividades realizadas nesse tipo de planta envolvem um alto índice de risco que deve ser evitado a qualquer custo. Assim, deve-se conhecer as condições mínimas exigíveis para projeto, cálculo, instalação e manutenção de sistemas de chuveiros automáticos para proteção contra incêndio de áreas de armazenamento.

Da Redação – 

Os armazéns logísticos geralmente não são divididos em zonas de incêndio ou muitas vezes eles apresentam deficiências significativas, como, por exemplo, aberturas não resistentes ao fogo/insuficientemente protegidas ou paredes que param perto do teto, permitindo que o fogo se espalhe rapidamente em toda a instalação. Outra questão é que os produtos armazenados precisam ser destruídos totalmente após uma perda, pois não podem mais ser vendidos após um incêndio devido à contaminação por fumaça. Essa é uma prática comum em armazéns de alimentos e produtos farmacêuticos, onde os produtos afetados não podem mais ser vendidos devido à alta sensibilidade à temperatura ou aos requisitos de qualidade e/ou higiene.

Em um mundo ideal, os armazéns deveriam ser construídos do zero, permitindo medidas de controle de incêndio adequadas desde o seu projeto inicial - desde materiais de construção e layout até provisões para inspeções, serviços e ensaios. No entanto, esse é um luxo raro e a modernização de armazéns existentes com sistemas automáticos de extinção de incêndio e alarme de incêndio geralmente envolvem despesas financeiras significativas. O mesmo se aplica aos edifícios que adicionam partições complexas para dividir o edifício em zonas de incêndio.

Independentemente da idade da instalação, qualquer alteração na estrutura, nas mercadorias armazenadas ou no tipo de armazenamento utilizado, deve ser cuidadosamente avaliada em...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica