Publicado em 18 Aug 2020

A gestão farmacoterapêutica

Redação

A gestão farmacoterapêutica é o ato de exercer diretivas sobre a farmacoterapia de um paciente. Inclui revisar o perfil farmacoterapêutico, prover nova farmacoterapia, ajustar ou descontinuar as terapias em curso e avaliar seus resultados. Por exemplo, fazer uma lista de medicamentos e informações associadas, pertencentes a um paciente específico, construídas para um propósito específico. Há mais de um tipo de lista de medicamentos, mas o foco estará em uma em uso segundo relato do paciente – esta lista pode incluir medicamentos prescritos e de venda livre e que o paciente esteja utilizando no momento atual. Uma lista de medicamentos que o paciente utilizará após a alta de uma instituição de saúde; uma que o paciente está usando imediatamente antes da admissão em uma instituição de saúde. A lista de registros de administração de medicamentos que devem incluir todos os medicamentos que o paciente recebeu durante um período de tempo específico, que pode ser a duração de uma internação. O registro também pode incluir detalhes sobre a dose, via de administração, tempo de administração e quem administrou os medicamentos. E uma lista conforme relatada por um paciente ou outra pessoa próxima que um profissional de saúde documentou durante uma sessão de levantamento do histórico ou perfil do paciente. Um exemplo de uma definição de um perfil farmacoterapêutico seria um sumário completo e abrangente de todos os medicamentos utilizados por um paciente de forma regular. O perfil inclui detalhes importantes sobre o consumidor/paciente, a farmácia emissora e detalhes sobre cada medicamento, como ingrediente ativo e nomes de marca, concentração e forma farmacêutica, dose e instruções de uso e outras informações suplementares, como, por exemplo, via de administração, indicação, recomendações especiais, etc. Assim, é importante conhecer os vários conceitos e terminologias usados no domínio farmacêutico quando aplicados ao tópico de criar listas de medicamentos a partir de dados existentes.

Hayrton Rodrigues do Prado Filho – 

A gestão farmacoterapêutica é a ação de gerenciar a terapia medicamentosa de um paciente. Normalmente, ela é realizada por prescritores, mas farmacêuticos também cumprem um papel importante em sua execução. Assim, deve-se identificar as identifique interações entre múltiplos medicamentos com alimentos e fitoterápicos, relatar os possíveis efeitos em análises clinicas e assegurar a adequação da prescrição baseando-se tanto na informação farmacológica sobre o medicamento na informação fisiológica e nos históricos médicos e de condições de saúde de cada paciente. Um exemplo interessante para o leitor entender.

Por exemplo, o paciente João da Silva, 68 anos, possui agendamento para uma cirurgia hospitalar de hérnia de discos intervertebrais no Hospital AAA. João da Silva sofre da hérnia e também apresenta problemas cardiovasculares e hipertensão. Ocasionalmente ele sofre de erupções cutâneas de tipo eczematoso. Solicitou-se que João da Silva mantivesse o uso de sua medicação habitual em casa e que relatasse o uso destes medicamentos no momento do ingresso hospitalar para uma entrevista admissional. Há dois anos, João da Silva foi operado do joelho no Hospital AAA e seu antigo arquivo médico ainda está no sistema Registro Eletrônico em Saúde (RES). Desde que houve a alta hospitalar seus registros não foram atualizados.

A Dra. Brown é a entrevistadora de admissão. Ela recupera os registros médicos ant...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica