Publicado em 03 Aug 2021

As peças roliças preservadas de eucalipto para construções rurais

Redação

O eucalipto foi introduzido, no Brasil, em 1868, no Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro. Primeiramente, sua utilização era para a arborização de ruas, decoração, ou ainda, para quebra de ventos. O cultivo, em larga escala, só começou a ser executado, em 1903, em São Paulo. A finalidade do cultivo era a produção de lenha. A floresta de eucalipto pode ser considerada de múltiplo uso, tanto em relação à madeira produzida quanto aos demais produtos advindos de suas flores, folhas e casca. A sua madeira se presta aos mais diferentes usos, tanto na forma sólida como também como matéria prima para a indústria de polpa e àquela dos painéis reconstituídos. A madeira do eucalipto possui o alburno (parte externa do tronco de uma árvore que geralmente se distingue da parte interna pela cor mais clara e, normalmente, ele contém substâncias de reserva, por exemplo, o amido e é mais permeável à passagem de líquidos) delgado, com menos de 3 cm e cor clara. O cerne tem cores que variam do amarelado ao pardo-avermelhado e ao vermelho. A madeira apresenta pouco brilho e é macia a moderadamente dura ao corte. Um grande problema na madeira de eucalipto é a formação de tiloses nos vasos de grande parte das espécies. Elas são responsáveis pela dificuldade de secagem e pela inexistente tratabilidade dos lenhos. A madeira pode ser trabalhada, facilitando cortes de superfícies, sem grandes dificuldades. As variações dos tipos de madeira do eucalipto são enormes e muito úteis, pois vão das leves e de baixa durabilidade às aptas às utilizações estruturais e de durabilidade relativa. A madeira de cerne de eucalipto é impermeável ao uso de soluções de tratamento. O meio alternativo está no tratamento por difusão, com substâncias difusíveis à base de boro. Porém, a maioria das espécies possui boa resistência. O primeiro aspecto observado, em relação à resistência do eucalipto, é a grande variabilidade ao longo do raio ou na direção da medula casca e está relacionada à formação de madeira juvenil que possui resistência inferior à adulta. O segundo aspecto é a formação de um cerne frágil, que pode ocorrer em árvores de rápido crescimento e maiores diâmetros, o que reduz a sua resistência. Para uso rural, deve-se entender as condições mínimas exigíveis das peças roliças preservadas de eucalipto para aplicação em construção de cercas, currais, estruturas de culturas agrícolas aéreas e outras construções similares.

Da Redação – 

O principal produto obtido a partir de plantações de eucalipto é a madeira. Quase a totalidade das áreas plantadas no Brasil se destina à produção desse tipo de matéria prima. É a utilização da madeira como material de uso direto, na forma roliça ou processada mecanicamente, sem alteração de sua constituição original em plantas industriais.

Na forma bruta, a madeira apresenta amplas possibilidades de uso nas propriedades rurais, como moirões para cercas, esteios, tutores para culturas agrícolas, palanques, postes de transmissão e construções rurais de uma forma geral. O inconveniente da madeira para essa aplicação, entretanto, é a baixa resistência à degradação biológica (apodrecimento por fungos e ataque de insetos), principalmente em peças que ficam em contato direto com o solo.

No entanto, esse problema pode ser contornado por tratamentos preservativos, que podem ser feitos pelo próprio usuário, permitindo assim o aumento da durabilidade das peças e evitando a sua substituição prematura por comprometimento da integridade física. Para a madeira destinada à produção de peças serradas e lâminas, além ...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica