Publicado em 03 Aug 2021

A segurança dos eletromédicos em ambientes domésticos de cuidados da saúde

Redação

Um ambiente doméstico de cuidado à saúde é a moradia na qual um paciente vive ou demais locais nos quais os pacientes estejam presentes, exceto ambientes de instalações profissionais de cuidado à saúde onde se encontrem operadores com treinamento médico continuamente disponíveis quando os pacientes estiverem presentes. Por exemplo, em um carro, ônibus, trem, barco ou avião, em uma cadeira de rodas ou caminhando em ambiente externo. As instalações profissionais de cuidado à saúde incluem hospitais, consultórios médicos, centros cirúrgicos independentes, consultórios odontológicos, maternidades independentes, instalações de cuidados limitados, salas de primeiros socorros ou de resgate, instalações de tratamentos variados e serviços médicos de emergência. Deve-se ressaltar que muitos países possuem um código que cubra instalações elétricas em edifícios que seja derivada das normas IEC ou Cenelec e seja incorporada nas regulamentações de edifícios, regulamentações de saúde e segurança ou que seja de outro modo legalmente aplicável. O problema é que essas normas não são retrospectivas, portanto, muitos edifícios existentes e seus ocupantes não se beneficiam desse nível de segurança. Como resultado, os meios de segurança, e em particular a conexão ao aterramento para proteção, em edifícios mais antigos são questionáveis. Embora as normas de segurança na maioria das áreas da vida estejam constantemente melhorando, a segurança de instalações elétricas domésticas em edifícios existentes não acompanhou a tendência. As pessoas esperam estar o mais seguras possível quando se encontram em suas casas e tendem a não estarem atentas aos riscos que lá se encontram. Por exemplo, a atual taxa de conclusão para habitações recém-construídas implica que o tempo médio de vida de uma habitação europeia é de 200 anos e que a maioria (60%) do estoque de habitação da Europa já está acima de 30 anos. Uma significativa maioria de instalações elétricas domésticas na Europa não atende aos códigos elétricos atuais. A alta média de idade de casas somada a um estilo de vida intenso baseado em eletricidade e o crescente número de normas de segurança são fatores que requerem uma renovação regular e periódica de instalações elétricas. Por isso deve-se entender a segurança básica e ao desempenho essencial de equipamentos eletromédicos e sistemas eletromédicos para o uso no ambiente doméstico de cuidado à saúde, especificado pelo fabricante nas instruções de uso.

Da Redação – 

No caso dos equipamentos eletromédicos (EM) usados em residências, a falta de medidas de segurança adequadas pode ter sérias consequências. Os defeitos elétricos são uma causa comum de incêndio. As pesquisas mostram que os incêndios causados por defeitos elétricos resultam em mais danos e ferimentos pessoais do que incêndios comuns.

Os equipamentos elétricos mantidos de maneira precária também podem causar ferimentos por meio de choque elétrico, especialmente se os meios de segurança do aterramento de proteção não estiverem presentes ou funcionando. Esses defeitos elétricos também podem causar o funcionamento defeituoso de equipamentos EM com sérias consequências para as pessoas envolvidas e especificamente para o paciente que pode não ser capaz de reagir a esses defeitos, por exemplo, por reflexo, o que é uma grande diferença em comparação com outros equipamentos elétricos utilizados por pessoas saudáveis no ambiente doméstico.

As instruções de uso devem divulgar o tempo ou número de procedimentos disponíveis após a perda ou falha da rede de alimentação elétrica ou o quase esgotamento da fonte de ali...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica