Publicado em 19 Jan 2021

Não erre no projeto da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD)

Redação

A lei contém muitos aspectos que devem ser avaliados de acordo com a particularidade de cada negócio, volume de dados e exposição. O trabalho deve ser feito para alcançar um nível aceitável de risco para o negócio, já que a confiança de clientes ou parceiros de negócios é de vital importância e um incidente de vazamento de informações pessoais pode prejudicar a reputação das empresas acima de qualquer dano econômico aplicável ou multa.

Alfredo Martín Cammarota – 

O início da vigência da LGPD pegou muitas empresas de surpresa. Após quase dez anos de discussões, ninguém imaginava que a lei seria sancionada e em meio à pandemia. Com isso, desde setembro, companhias de todos os portes estão correndo contra o tempo para se adequarem às exigências de tratamento de dados pessoais da nova lei.

Apesar da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) ainda não fiscalizar as empresas, outros órgãos, como o Ministério Público, podem mover ações e aplicar punições baseadas na nova Lei. Portanto, cabe às organizações buscarem o máximo de eficiência para não errarem nas suas adequações. As dicas abaixo ajudam as empesas nos principais aspectos neste processo de adequação.

Evite os atrasos no projeto de LGPD diante da dificuldade de levantar informações: equipes multidisciplinares devem ser criadas para trabalhar no levantamento de informações, já que a LGPD não é um projeto de TI ou de Segurança, mas de toda a empresa. A definição de líderes de diferentes áreas da empresa acelerará o processo de pesquisa, pois chegará diretamente aos proprietários dos dados.<...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica