Publicado em 16 Mar 2021

Como a tendência dos games impacta os provedores de internet

Redação

Os internet service providers (ISP) precisaram entender o perfil desses clientes de games, por vezes muito mais exigentes que os usuários residenciais comuns, os quais acessam serviços onde atrasos na ordem de 10 ms de diferença na chegada da informação não faz diferença se a página web vai ou não carregar. Já para os gamers, qualquer atraso na informação pode ser crítico e definir o resultado de um campeonato. Por essas razões os provedores se viram muitas vezes obrigados a melhorar a infraestrutura de suas redes, muitos até tiveram que migrar de tecnologia e hoje em dia é possível afirmar (segundo dados da Anatel) que a maioria das redes de banda larga do Brasil utilizam a fibra óptica para possibilitar a melhor experiência de jogabilidade online para os gamers.

Rafael Kohiyama – 

Não é de hoje que os games ou jogos digitais exercem fascínio na humanidade. Desde crianças estamos acostumados a simular atividades da realidade. Os games têm sido um valoroso mecanismo de aprendizado, pois as situações e desafios enfrentados em um jogo podem assemelhar-se muito à uma situação real. Nesse caso, os jogos têm o foco de auxiliar na aprendizagem.

Atualmente muitas instituições já usam esse recurso na área de educação, ensino a distância (EAD) e até em treinamentos corporativos, onde a realidade virtual se mostrou uma excelente ferramenta de instrução para cursos específicos. Por exemplo, rotinas de segurança no trabalho, manutenção em subestações, simuladores de pilotagem ou até treinamentos militares, situações que podem ser muito críticas e perigosas na realidade. A gamificação em processos empresariais também vem sendo largamente utilizada como forma de apresentar mais dinamismo e possibilidade de imersão aos envolvidos na busca pelo atingimento das metas corporativas. 

...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica