Publicado em 07 Apr 2020

A resiliência nas organizações em tempos de pandemia

Redação

A ISO 22316:2017 - Security and resilience — Organizational resilience — Principles and atributes define a resiliência organizacional como a capacidade de uma organização de resistir, absorver, recuperar e adaptar-se a interrupções que afetam sua atividade em um ambiente em constante mudança e cada vez mais complexo, para permitir que ela atinja seus objetivos, recupere e prosperar.

Odecio Branchini - 

Uma pesquisa constatou que, na França, a resiliência é incluída no planejamento estratégico de apenas 34% das empresas, o que significa estar longe (se não muito longe) de ser efetivamente integrada ao cotidiano das organizações. Isso é demonstrado pelo estudo realizado pela Adenium e pela EMLyon Business School no final de 2019, que analisou a gestão de riscos e a importância do estabelecimento da gestão de crises em uma organização, bem como o uso contínuo do PCA e da cultura de resiliência na cultura corporativa.

Nesta pesquisa, quase uma em cada cinco empresas admite ter sofrido uma crise nos últimos cinco anos, o que a levou a uma interrupção prolongada das atividades (mais de 48 horas) produtivas; e que para uma em cada cinco empresas, essa crise custou mais de dez milhões de euros contra pouco mais de um terço por menos de 100.000 euros.

Isso mostra a falta de resiliência das empresas. A verdade é que um quarto dos entrevistados não tem um plano de continuidade dos negócios (PCN), nem ações para a gestão de crises e menos da metade não dispõe de ferramentas de gestão de riscos. Este estudo, ainda que empírico, ganhou ainda mais significado nos últimos meses com a crise do coronavírus que está afetando fortemente a humanidade e a economia global.

Veja um resumo desta pesquisa: Relatório do estudo: barômetro de resiliência das organizações - 2020

Este relatório é o resultado de um estudo empíri...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica