Publicado em 25 Aug 2020

Sair melhor ou pior da crise é uma questão de escolha

Redação

Uma das poucas certezas sobre as crises econômicas é que ninguém sai das crises como entrou. Saímos melhores ou piores. As escolhas neste momento irão determinar como será o futuro quando a tempestade passar.

Sérgio Ferreira – 

Não temos como prever a duração e também os impactos finais que terão nos negócios com a atual crise economia, política e sanitária que vivemos. Por isso, devemos focar no que está sob controle. Assumindo que queremos sair melhor do que entramos na crise, é preciso refletir sobre possíveis caminhos a percorrer. Como se guiar? Há alguns aspectos que merecem especial atenção para controlar os impactos deste momento.

Alguns estudos sugerem que apenas em 2023 retornaremos ao nível de atividade econômica do ano passado. É possível que a recuperação venha antes, mas contar com isso pode custar caro demais. O mercado, nos próximos meses, será de menos clientes com menos dinheiro para consumir. Por isso, é preciso readequar as despesas. Isto significa reduzir gastos daquilo que antes considerávamos intocáveis. As crises nos ajudam a redefinir o conceito de essencial.

Quanto menor for a despesa fixa e maior a variável, menos as empresas sofrem quando há queda de demanda e faturamento, como estamos vivendo agora. Quanto maior a alavancagem (a relação entre as despesas fixas e as variáveis), maior o risco do negócio. Como a sua empresa está tratando deste tema?

Nunca o valor de um cliente foi tão precioso. Entender as necessidades do cliente neste momento significa entender muito mais do que os seus hábitos passados de compra e sua nova forma de consumir. Se o seu cliente atualmente está em atraso com os pagamentos, ...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica