Publicado em 08 Jun 2021

Rover da Nasa que está em Marte usa processador dos Mac de 1998

Redação

rover utiliza processadores PowerPC 750, que foram usados no iMac G3, lançado pela Apple há 23 anos, em 1998. Pouco vendido e conhecido no Brasil, uma característica desse desktop era a tampa traseira colorida e transparente - a expressão nada de cinza era utilizada na propaganda da máquina, provavelmente para dar uma alfinetada nos computadores da Microsoft, sua grande concorrente na época. Se o nome PowerPC soa familiar, provavelmente é porque essas são as CPUs de arquitetura RISC que a Apple usou em seus computadores antes de mudar para a Intel, que agora ela começa a abandonar para usar seus próprios processadores.

Vivaldo José Breternitz – 

Quando o rover perseverance pousou em Marte no final do mês passado, era lícito imaginar que a Nasa havia utilizado tecnologia avançadíssima para a construção do veículo. Isso é verdade, mas alguns componentes do perseverance não estão muito distantes do nosso cotidiano: o rover utiliza processadores PowerPC 750, que foram usados no iMac G3, lançado pela Apple há 23 anos, em 1998.

Pouco vendido e conhecido no Brasil, uma característica desse desktop era a tampa traseira colorida e transparente - a expressão nada de cinza era utilizada na propaganda da máquina, provavelmente para dar uma alfinetada nos computadores da Microsoft, sua grande concorrente na época. Se o nome PowerPC soa familiar, provavelmente é porque essas são as CPUs de arquitetura RISC que a Apple usou em seus computadores antes de mudar para a Intel, que agora ela começa a abandonar para usar seus próprios processadores.

continuar lendo

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica